(62) 3877-3223 / (62) 3089-5400

O surgimento dos Jogos Paralímpicos no contexto da Segunda Guerra Mundial

Postado em 02/09/21
O surgimento dos Jogos Paralímpicos no contexto da Segunda Guerra Mundial

Este ano estamos acompanhando os Jogos Paralímpicos 2020 em Tóquio e torcendo muito para todos os atletas brasileiros, que têm obtido ótimos resultados na competição com muitas medalhas em várias modalidades. O Brasil é uma grande potência nesse evento multiesportivo e participa de todas as edições, desde 1972.

Os Jogos Paralímpicos surgiram a partir de uma iniciativa do neurologista Ludwig Guttmann. Ele era um médico alemão que se refugiou na Inglaterra em 1939, devido a opressão nazista contra a comunidade judaica, durante a Segunda Guerra Mundial. Foi no hospital inglês Stoke Mandeville, localizado na cidade de Aylesbury, que ele começou a trabalhar com pacientes paraplégicos, vítimas da guerra. O esporte tinha um papel muito importante no tratamento, no bem-estar físico e mental, assim como na reintegração social e autoestima dos pacientes.

Antes da Segunda Guerra Mundial, os soldados que saíam feridos do combate tinham um futuro doloroso e nada promissor. Pessoas com lesões na medula espinhal, por exemplo, morriam dentro de um ano, sem chances de recuperação. Isso devido ao pouco conhecimento sobre o assunto na época. No entanto, o médico britânico George Riddoch adquiriu uma vasta experiência cuidando de sobreviventes da Primeira Guerra Mundial e defendeu, juntamente com outros nomes, um tratamento especializado para soldados com lesões ortopédicas.

Durante a Segunda Guerra Mundial, a medicina já estava mais avançada e o Reino Unido havia se preparado com mais leitos e estrutura para receber feridos de guerra. Nessa mesma ocasião, George Riddoch tentava estabelecer unidades especializadas para traumas ortopédicos, o que mudaria o futuro da reabilitação de pacientes com lesões na medula espinhal e ocasionaria o subsequente nascimento da Paralimpíada.

Foi no ano de 1943 que Riddoch indicou o neurologista Ludwig Guttmann para chefiar um novo centro nacional para lesões espinhais no Reino Unido, o Hospital Stoke Mandeville. A princípio o hospital era um local de tratamento para militares ingleses feridos na Segunda Guerra Mundial. O neurologista implementou o procedimento de virar os pacientes a cada duas horas para que eles não tivessem mais lesões por pressão. Depois, introduziu atividade física como um caminho fundamental para a reabilitação.

O primeiro esporte a ser praticado dentro do hospital foi o tiro com arco, logo depois foram inseridos novos jogos como polo e basquete em cadeira de rodas. Em 1948, Guttmann organizou uma competição para 16 homens e mulheres com algum tipo de lesão, chamado Jogos Stoke Mandeville, a competição foi organizada para acontecer junto com a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de 1948 em Londres. Em 1949, 37 atletas participaram e Guttmann já acreditava que um dia haveria Jogos Olímpicos para pessoas com deficiência.

Depois de 1948, os jogos de Stoke Mandeville aconteceram todos os anos e se tornaram internacionais quando atletas da Holanda participaram da edição de 1952. Guttmann sempre pensou além e queria que o evento se unisse ao movimento olímpico, o que ocorreu ao levar os jogos de Stoke Mandeville para Roma, a cidade sede das Olimpíadas de 1960. Essa é considerada a primeira Paralimpíada oficial.