(62) 3877-3223 / (62) 3089-5400

Escravidão Moderna

Postado em 19/07/21
Escravidão Moderna

A escravidão é um regime de trabalho onde indivíduos, adultos ou crianças, são forçados a executarem tarefas sem remuneração. Essas pessoas têm sua liberdade roubada e são vistas como meras propriedades, podendo ser vendidas ou trocadas a favor do lucro de quem escraviza. O sistema escravista surgiu em períodos de guerras e conquistas territoriais, onde os povos derrotados eram submetidos ao trabalho forçado pelos conquistadores. Tanto no Brasil como em diversos países pelo mundo, a mão de obra escrava foi amplamente utilizada e deixou marcas profundas na história. No mundo contemporâneo o trabalho escravo é ilegal, porém é uma prática que ainda ocorre, fazendo com que milhares de pessoas vivam em condições desumanas.

A escravidão moderna existe em grandes porcentagens, mas muitas vezes é naturalizada ou despercebida pela sociedade. Ela pode acontecer em vários âmbitos como no tráfico de seres humanos, servidão por dívida, trabalho doméstico forçado, escravidão sexual, entre muitos outros exemplos. Ao contrário do que muitos acreditam, a mão de obra escrava não existe apenas em países subdesenvolvidos. Segundo o Índice Global de Escravidão 2016, divulgado pela organização australiana Walk Free Fountation, cerca de 46 milhões de pessoas vivem em situação análoga à escravidão, maior parte está na Ásia. As vítimas, em sua maioria, trabalham em indústrias, agricultura, pesca, construção, confecção têxtil, mineração, serviços e trabalho doméstico.

Um estudo estimou que a mão de obra escrava moderna gera em torno de 150 bilhões de lucro, todos os anos, para as empresas que se utilizam dela. Isso causa grandes impactos negativos, devido à concorrência desleal sofrida por companhias que trabalham dentro da lei, levando à redução de salários, corte de benefícios e demissões para manter um preço competitivo. Além disso, os governos perdem receitas tributárias e arcam com altos custos em processos com vítimas de escravidão.

Em 2020, no Brasil, um caso de escravidão moderna ganhou grande repercussão. Madalena Gordiano foi capturada por uma família em Minas Gerais, quando tinha apenas 8 anos e pedia esmola nas ruas. Ela serviu por quase 40 anos com serviços domésticos, sem salário ou qualquer tipo de direito como férias ou folgas, inclusive foi impedida de ter acesso à educação. Madalena foi resgatada em novembro de 2020, após a denúncia de um vizinho. O caso dela, infelizmente, é apenas um entre muitos.

No Brasil, estima-se que 161 mil pessoas vivam em condições análogas à escravidão, principalmente em áreas rurais. Nos últimos 25 anos, foram resgatados 55.000 brasileiros vítimas do sistema escravista. Atualmente, existem algumas ONGs que trabalham com o intuito de conscientizar cidadãos, organizações, empresas e governos sobre o problema e os fatores que contribuem para que ele continue existindo. A partir disso, é possível olhar para um futuro mais ético, com políticas sólidas, que possam erradicar a escravidão no século XXI.